Mano Velho (Natiruts)

Ah... se um dia eu pudesse encontrar Um barco forte para me levar Sob a tempestade que quer me matar Mano velho quando ela chora É medo que o seu passarinho encantado vá embora Vejo na música as cores que um dia se uniram no céu para ver A morte lenta da dor na alma daquele em que a felicidade tocou Mano velho chorou quando ela ofereceu Todo seu amor um presente de Deus Mano velho chorou quando enfim descobriu Que aquelas cores formaram o céu do Brasil A felicidade é tão bela Mais que a única rosa amarela E tão linda rosa ela é Que protegê-la é ato de fé Cantaremos pela cidade Esse reggae que é de verdade E ao te ver cantando tão linda Mais eu tomo gosto da vida