Bachianas Brasileiras No. 5: Aria (Baez Joan)

Tarde uma nuvem rósea lenta e transparente Sobre o espaço, sonhadora e bela Surge no infinito a lua docemente Enfeitando a tarde, qual meiga donzela Que se apresta e a linda sonhadoramente Em anseios d'alma para ficar bela Grita ao céu e a terra toda a Natureza Cala a passarada aos seus tristes queixumes E reflete o mar toda a Sua riqueza Suave a luz da lua desperta agora A cruel saudade que ri e chora Tarde uma nuvem rósea lenta e transparente Sobre o espaço, sonhadora e bela